12 de fev de 2017

Porque 2017 poderá ser finalmente o ano da casa inteligente

Fonte: CNBC

Já existem toneladas de gadgets de alta tecnologia para tornar as casas "mais inteligentes" hoje, mas os proprietários não estão tão interessados nisto quanto você poderia pensar.

A automatizaçãocompleta ainda não é elevada na lista da prioridade do morador padrão de uma casa. Isso pode estar prestes a mudar. O problema até agora tem sido a própria tecnologia: os consumidores não têm certeza de como integrar estes produtos em sistemas domésticos existentes. Simplesmente, eles não sabem como usá-los.

"Tem havido muita fragmentação na indústria, muita confusão entre os consumidores quanto a quais dispositivos são os melhores para usar. Há longevidade nas tecnologias? Se instalar um sistema amanhã, será ainda aplicável dentro de um ano", formula Blake Kozak, analista principal da IHS Markit.

Em 2016, 80 milhões de dispositivos domésticos inteligentes foram entregues em todo o mundo, um aumento de 64% a partir de 2015, segundo a IHS Markit. Isso inclui termostatos Nest e detectores de fumaça, controles de acesso inteligentes, video porteiros. Uma grande parte deles era composta por assistentes pessoais pessoais como o Google Home, Mykie da Bosch e Alexa da Amazon. Analistas dizem que apesar do crescimento no ano passado, 2017 será o ano da casa inteligente, porque as empresas por trás da tecnologia estarão mais perto de educar seus consumidores.

"Os consumidores de hoje estão incrivelmente confusos quanto ao valor que eles estão recebendo.Um consumidor poderia gastar mais de US $ 1.000 no varejo e ele não entende ainda o que é o valor. Eles estão recebendo poupança de energia? Ou trata-se de algo simplesmente divertido e eles não vão querer usá-lo dentro de algumas semanas? - disse Kozak.

A consolidação na indústria trouxe companhias  de tecnologia menores sob o guarda-chuva das grandes prestadoras de serviço. Isso deve ajudar os consumidores a se sentirem mais à vontade com os novos dispositivos.

"O que os grandes players do mercado como a Comcast, a AT & T e os provedores de segurança como a Vivint, o que essas empresas podem fazer é fornecer mais marketing e oferecer mais oportunidades para os consumidores usarem esses produtos em primeira mão. Consulte esses produtos na frente deles, Porque é muito difícil apenas assistir anúncios na TV, e captar o verdadeiro valor que isto pode representar na sua casa ", disse Kozak.

A agente imobiliária Theresa Taylor disse que seus compradores em Maryland não estão pedindo tecnologia doméstica. Eles tendem a esperá-lo em novas construções, mas não em casas existentes, que são a grande maioria do mercado.

"Eles não estão dispostos a pagar um prêmio por isso, se a casa tem, está tudo bem, mas não é nada que esteja no topo de sua lista", disse Taylor.

A maioria dos compradores, ela disse, sabe que se eles querem uma campainha inteligente ou um termostato, eles podem simplesmente comprá-los por si próprios e será relativamente barato. A idéia de uma casa inteligente completa e integrada parece estar além de seu alcance.

"Acho que é definitivamente uma oportunidade para as empresas de tecnologia para educá-los mais, ,ostrando que isso poderia ser uma poupança, e não apenas a simplicidade de tornar sua vida mais fácil, além de poder usar o telefone para fazer tudo", disse Taylor. "Acho que se soubessem os benefícios de como isso poderia poupar dinheiro, seria uma característica mais atraente e, em vez de estar no fundo da lista do que as pessoas querem, provavelmente iria subir em suas prioridades".

Para esse fim, a CNET, um site de notícias e relatórios de tecnologia de consumo, está lançando sua Smart Home Matrix no Consumer Electronics Show nesta semana. É um novo recurso no site projetado para encaminhar os consumidores através da mais recente tecnologia de casa inteligente.
"Vimos a tecnologia de casa inteligente ter cada vez mais destaque na CES com mais produtos anunciados a cada ano", disse Mark Larkin, da CNET. "Com base em nossos próprios testes no CNET Smart Home, entendemos que um dos maiores obstáculos na adoção da tecnologia de casa inteligente é conseguir que vários dispositivos funcionem em conjunto.A nossa Matriz Home Inteligente ajuda os consumidores a fazer exatamente isso, informando quais dispositivos são compatíveis com cada de outros."

O ano que vem provavelmente trará mais inovações, mas o foco, de acordo com analistas da IHS Markit, será baixar os preços, educar os consumidores e aumentar a segurança, para que ninguém possa desligar sua geladeira sem querer. Comando por voz vai se tornar muito mais comum, e a casa inteligente irá se integrar com o carro inteligente - assim quando voce se afastar de sua casa, ela vai saber para controlar o aquecimento e outros equipamentos na sua ausencia. Eles prevêem que pelo menos 130 milhões de dispositivos domésticos inteligentes serão entregues em todo o mundo este ano, ou seja , outro crescimento muito expressivo,

5 de fev de 2017

Medicina digital: a Automação Residencial está redefinindo os cuidados com a saúde domestica


Fonte: Collective Evolution

Voltando algumas gerações para o passado, a humanidade tem procurado usar a ciência e a tecnologia para melhorar as práticas medicinais existentes. Desde os primeiros implementos cruciais até hoje máquinas de diagnóstico avançadas, robôs cirúrgicos e programas de software, máquinas e computadores têm levado a grandes avanços em nossa capacidade de diagnosticar, tratar e gerenciar uma ampla gama de condições de saúde.

Agora, graças aos rápidos desenvolvimentos em ciência e análise de dados, "aprendizado mecânico" e automação, o campo médico está no meio de outra revolução que promete mudar a maneira como cuidamos de nossos corpos, mentes e espíritos.

A Internet das Coisas

Os seres humanos são às vezes esquecidos, irracionais, teimosos e propensos a vários preconceitos e deficiências. No entanto, a explosão de dispositivos poderosos, portáteis e interligados - a repentinamente onipresente Internet das Coisas - começou a mudar fundamentalmente a forma como experimentamos e damos sentido ao nosso mundo.


O crescimento extraordinário de "Big Data", também, alterou a forma como nos comunicamos e nos envolvemos com nós mesmos, nossos entes queridos e nossas carreiras. Nunca antes tantos dados e informações estatísticas estiveram disponíveis tão facilmente, e nunca antes tínhamos as ferramentas para empregar esses dados de forma que compensassem nossas deficiências inatas e melhorassem nossa qualidade de vida.

Cuidados de saúde se tornam mais inteligentes

Em poucas palavras, é esta a mudança mais aparente, ou mais potencialmente gratificante, que tem se mostrado na medicina e nos cuidados com a saúde. Tanto em instalações médicas quanto em casa, estas tecnologias citadas tornam mais fácil do que nunca acompanhar os dados médicos dos pacientes, avaliar suas necessidades específicas e adequar os cuidados ao indivíduo.

Os pacientes que se beneficiam mais são os idosos, os deficientes mentais e físicos, e aqueles que sofrem de condições crônicas debilitantes. Ao aproveitar as novas ferramentas conectadas e eficientes, para estas pessoas, que de outra forma podem lutar para viver uma vida plena e independente, são oferecidas oportunidades e liberdades que antes eram consideradas impossíveis.

A Automação e o controle da Saúde Doméstica

A forma de automação doméstica chamada "domótica assistiva" concentra-se especificamente em tornar possível para os idosos, doentes crónicos e deficientes que permaneçam em sua casa onde se sentem mais confortáveis ​​e seguros, em vez de se mudar para uma instalação de saúde anônima e cara.

Novas opções de saúde "conectadas" incluem:

  • Dispositivos automáticos que ajudam os idosos a gerenciar e lembrar de seus medicamentos.
  • Monitores habilitados para Internet e fechaduras que mantêm controle sobre os pacientes com Alzheimer, alertando os cuidadores para qualquer atividade incomum ou potencialmente preocupante
  • Sistemas completos de automação doméstica inteligente que fornecem controles simples e lembretes para indivíduos autistas que operam termostatos, preparam refeições para que estejam seguros em casa.
  • Inaladores, tanques de oxigênio e outros suprimentos médicos que registram quando e como eles são usados ​​e retransmitem estes dados de volta para o médico do paciente.

Juntos, estes e outros desenvolvimentos na tecnologia médica atual estão criando um ecossistema de saúde "conectado" que ajuda os pacientes a evitar a readmissão hospitalar enquanto são tratados e avaliados em suas próprias casas. Para quem precisa de acompanhamento e assistência médica freqüentes, a Internet de coisas conectadas pode ajudar a sustentar sua independência, proporcionar novas oportunidades para capacitação pessoal e permitir conexões mais profundas com seus cuidadores e comunidades.

Mudanças contínuas no cuidado

Além dos impactos de curto prazo, o crescimento de dispositivos de automação residencial também apresenta a possibilidade de uma mudança de longo prazo em direção ao deslocamento de cuidados fora do ambiente hospitalar e em casas e instalações de vida assistida. Com mais de 40 milhões de pessoas atualmente recebendo algum tipo de cuidados diários nos Estados Unidos e uma população idosa que deverá crescer exponencialmente nos próximos anos, os hospitais e outros estabelecimentos de saúde correm o risco de serem inundados com mais pacientes do que eles podem cuidar.

A capacidade de muitas dessas pessoas para permanecer em suas casas ou instalações sem sacrificar a qualidade dos cuidados é uma promessa enorme, não só no alívio da carga sobre os hospitais, mas em permitir que os pacientes permaneçam em ambientes mais confortáveis ​​e familiares por mais tempo.

A tecnologia também tem o potencial de aliviar alguns dos custos escalonáveis ​​associados com cuidados de saúde, tanto ajudando a prevenir acidentes caros e conectando médicos do paciente a uma ampla gama de dados sobre o uso de medicação, sinais vitais, como freqüência cardíaca e saturação de oxigênio, importantes testes de informações, incluindo glicose no sangue e pressão arterial, acompanhamento da marcha, e muito mais.

Com uma população que é ao mesmo tempo envelhece e está cada vez mais acima do peso, os desafios de cuidados de saúde do futuro serão grandes. Mas as promessas de automação avançada de computadores e tecnologias médicas mais inteligentes fornecem um caminho para um atendimento mais amigável ao paciente e uma maneira para que os indivíduos se envolvam mais ativamente no gerenciamento de seu bem-estar pessoal e em vidas mais longas em geral.

29 de jan de 2017

O progresso do mercado de Automação Residencial é evidente

Relatório lançado mundialmente pela empresa de pesqusa de mercado IHS Markit mostra projeções importantes dos numeros desta evolução.

O gráfico abaixo pode ser utilizado para esta comparação, mostrando numeros de 2015 e suas respectivas projeções até 2020


Importante enfatizar a definição adotada pela empresa para "casa inteligente":

"A IHS Markit define casa inteligente como aquela na qual os equipamentos tomam decisão baseados em algum tipo de input. Por exemplo, um sensor atrelado a um termostado detecta que não há ninguem na casa então desliga as luzes, tranca as portas, fecha a garagem e desabilita o funcionamento da cafeteira.

O morador vai receber uma informação que estas ações foram tomadas na sua casa, mas a principio não precisaria se conectar e utilizar o aplicativo para enviar este tipo de comando uma vez que todo sistema está integrado."

Para baixar o relatório completo: https://www.ihs.com/

24 de jan de 2017

Depoimento de uma arquiteta que incluiu a automação residencial em seus projetos

A AURESIDE, atua há dezessete anos no mercado de automação residencial e predial e tem como um de seus objetivos treinar e capacitar profissionais, incluindo capacitações específicas como Áudio e Vídeo, Gerenciamento de Negócios e de Projetos. Com isso, a principal portal de entrada neste universo é através do curso de certificação, que já ultrapassa 100 turmas pelo Brasil todo, tendo capacitado e certificado mais de 1500 profissionais.

Contudo, dentre esses profissionais sempre há alguns participantes que se destacam pela dedicação, objetividade e interesse. Visando compartilhar um pouco mais do perfil de um destes participantes, vocês vão conhecer uma história verídica de como AURESIDE agrega valor ao mercado.

 A arquiteta Merícia Caldas  (ao lado) é um desses exemplos. Formada pela UFBA e com mestrado em Conforto Ambiental (UFRJ), atualmente reside no Rio de Janeiro atuando como profissional no eixo Salvador-Rio. Ela participou ativamente do Curso de Integrador em 2016 através de perguntas e curiosidade por buscar entender como o mercado funciona e como ela, como arquiteta, poderia fazer parte deste mercado.

Abaixo vocês vão encontrar alguns trechos da conversa que tivemos com ela, colhendo seus depoimentos para registrar aqui
.
A Arquiteta comenta que desde o início da carreira esteve engajada em a arquitetura voltada para a sustentabilidade. Até então a visão de sustentabilidade era mais técnica com estudos de materiais existentes no mercado, suas características físicas, inerciais e funcionais. Contudo, com o tempo essa visão ampliou-se para um âmbito mais global onde as pessoas em geral, profissionais liberais, especificadores de produtos e fabricantes passariam a atuar diretamente para o bem-estar do Planeta.
“Durante muito tempo observei a automação com bons olhos, porém tinha minhas dúvidas por ser um produto ainda muito seletivo e caro”, declara a arquiteta. Ela conta que pesquisou sempre sobre as novas tecnologias e, à medida que o fazia, se conscientizava que a Automação Residencial, principalmente depois dos sistemas sem fio, se tornara mais dinâmica e com custo de implantação naturalmente menor.

Com isso, identificou que era o momento de entrar no mercado de automação e passar seus conhecimentos aos clientes e novos profissionais. Ela compartilha que na primeira oportunidade, entrou em contato com a AURESIDE, em São Paulo, onde obtive as respostas que procurava ao fazer o Curso de Integrador, nos bate-papos informais com os professores e profissionais e nas leituras das publicações, livros e cursos online. “A AURESIDE, através da sua equipe, me ajudou muito a entender como o mercado funciona e como eu deveria dirigir meus esforços, afirmou Merícia.

Esse foi o primeiro passo, para pôr em prática o conhecimento adquirido após meses de pesquisas e negociações. Ela conta que pesquisou protocolos e empresas de automação residencial, tentando vinculá-las às exigências de áudio e vídeo, iluminação e motorização de cortinas, mas também e principalmente, de segurança, economia e sustentabilidade.

Desde então, a arquiteta Mericia Caldas realizou alguns projetos relacionados a esse tema e selecionou dois dos seus principais de automação para compartilhar como a automação a ajudou a se diferenciar no mercado.

Ela relata que o primeiro, na cidade de Salvador, atuou no suporte técnico para o desenvolvimento e implantação do projeto de automação residencial do apartamento decorado do empreendimento da Construtora Odebrecht, Ed. D’Azur em Jaguaribe, realizado pela empresa Home Smart Home, de Jesus Garcia Neto, também associado à AURESIDE

Embora a implantação da automação do apartamento decorado ainda esteja em andamento, já foi confirmada a contratação da automação de uma das unidades. Esse é um ótimo sinal de oportunidades no empreendimento de 28 apartamentos - distribuídos em duas torres de 14 andares, com vista para o mar e área de 235m² - e que possui um perfil de moradores exigentes com qualidade, conforto, economia e segurança.

 “Acreditamos que novos projetos surgirão a partir do contato empírico dos moradores com o apartamento decorado e que essa experiência venha corroborar o conceito do empreendimento para as necessidades profissionais dos proprietários e seu círculo de relações sociais”, afirma.

Abaixo vocês poderão encontrar mais detalhes sobre o sistema de automação realizado pela  Home Smart Home no projeto do Ed. D’Azur em Jaguaribe:
§   Controle de iluminação das salas e varandas.
§   Controle total de Home Theater com projetor, telão retrátil, sistema de som.
§   Fechadura digital.
§   Câmara IP.
§   Persianas motorizadas das varandas.
§   Comando pelos smartphones e por painel digital instalado na sala.
§   Total de 20 saídas automatizadas.

Já o segundo projeto, foi realizado no evento de decoração Morar Mais 2016 no Clube de Regatas do Flamengo, Rio de Janeiro - esse em parceria com a arquiteta May Lee Chaves no projeto arquitetônico. “Implantamos um espaço multifuncional de 36,00m² semelhante à realidade imobiliária do Rio através da integração do Estar Social composto desde o Home Theater, Home Office, ambiente de leitura à Varanda Gourmet com cozinha e mesa de apoio”, conta Mericia orgulhosa sobre a repercussão do espaço no evento.

Com a experiência nesse evento por dois anos consecutivos, a Arquiteta identificou a oportunidade de atuar com o público não só como arquiteta, mas também como divulgadora da automação residencial, sua sustentabilidade, viabilidade econômica, instalação e vantagens. Esse ano contou com uma empresa local como parceira neste projeto.

O sistema de automação do espaço Estar Social do Morar Mais Rio 2016 foi composto por:
§   Iluminação composta por 08 circuitos de iluminação ON/OFF, dimmer, dimmer para fita de LED 12V (nesses circuitos foram criadas cenas de acordo com o dia a dia do usuário).
§   Trilho de cortina em tecido e rolô ambos motorizados, onde os mesmos foram programados para serem trabalhados em sintonia com os sensores de luminosidade resultando em economia de energia.
§   Sensores de iluminação, fumaça e incêndio.
§   Sensor multifunção de temperatura, luminosidade e movimento.
§   Câmera IP integrada a automação.
§   Monitoramento do consumo de energia onde existem módulos de automação informando por relatórios e fazendo comparativos, resultando em gerenciamento do consumo de energia.

A arquiteta Merícia conta que tiveram um número significativo de interessadas no projeto de divulgação, abrindo oportunidades como profissionais de arquitetura e para a empresa parceira da automação. Além disso afirma, que foi grande também o interesse por parte de empresas da área de decoração em automatizar seus showrooms.

Dado o contexto, ela aconselha aos profissionais de arquitetura “abraçar a automação e pensar nos projetos com os benefícios que essa proporciona aos clientes. É nosso dever buscar a capacitação técnica na automação como forma de solucionar e traduzir os desejos dos clientes e suas buscas às novas realidades, além de interagir com os integradores de automação”.

“Durante o evento, muitos foram os clientes que se maravilharam com as possibilidades da automação e com as experiências empíricas que os arquitetos proporcionaram. Os clientes puderam vivenciar de forma clara e dinâmica seus anseios de segurança, economia e conforto. Esses se identificaram com o sistema wireless que proporciona instalação sem muitas obras além da possibilidade de modificações da automação e cenas podendo adaptá-las sempre que necessário à nova realidade do cliente”.


Na opinião da entrevistada, “como arquiteta e para seus clientes, ficou claro que a automação é um investimento para o futuro com aquisições e desfrute imediato. Com isso, contratos e orçamentos foram solicitados durante o evento com foco em empreendimentos residenciais e empresariais. Isto é, objetivo alcançado com sucesso”. 

21 de jan de 2017

Casa utilizada como piloto para mostrar automação está a venda por U$ 625 mil

Em agosto de 2015, o site de tecnologia de consumo CNET comprou uma casa na região de Louisville, Kentucky, com o propósito expresso de testar os mais recentes produtos de tecnologia para casa. Agora, essa propriedade, uma casa  dos anos 90, está à venda, mantendo algumas das suas mercadorias conectadas para um morador que se interesse por casas inteligentes.

Desde que assumiu a casa em 2015, a equipe CNET tem recheado a mesma com dezenas de produtos domésticos inteligentes (no valor de 26.450 dólares na verdade), desde de um Amazon Echo e um termostato Nest até um ventilador de teto inteligente Haiku e uma lavadora e secadora inteligente da Whirlpool. Sendo um campo em constante expansão de produtos, faz sentido tentar mostrar o seu potencial de atualização, deixando a casa totalmente equipada. E CNET foi capaz de fazer isso, o que está refletido no vídeo de 360 ​​graus, bem como esta visão geral de tudo o que aprenderam com a experiência.

Como se pode ver a partir do vídeo, produtos domésticos inteligentes foram incorporados em cada ambiente da casa, basicamente. Um controle de acesso inteligente e a iluminação na sala de estar, uma frigideira e um fogão inteligentes na cozinha, um ventilador inteligente e interruptor de luz no quarto, e assim por diante.

É importante notar que a CNET - que está colocando essa casa à venda simplesmente porque está começando em uma casa maior para testar novos produtos que seriam considerados "state of the art" para 2017 - retirou algumas das comodidades como o refrigerador inteligente Samsung Family Hub e as persianas inteligentes.

OBS: o investimento feito em automação citado acima (da ordem de U$ 26 mil) representa então cerca de 4% do valor de venda da casa, uma vez que a CNET está pedindo $ 625.000,

Imagens da casa podem ser vistas neste link

20 de jan de 2017

Usando o assistente virtual como instrumento para vender casas

Fonte: TecHome Builder

A Energy Squad, incorporadora com sede em Maryland (EUA), está lançando um empreendimento envolvendo seus parceiros construtores, utilizando casas modelo e introduzindo a cada vez mais popular plataforma de controle de voz da Amazon, o Alexa. O conceito, em última análise, resume-se a usar a plataforma Alexa como uma ferramenta de vendas para aumentar o interesse dos clientes em tecnologia e fechar mais negócios.

"Estamos incluindo o Amazon Alexa em nossas casas modelo e utilizamos o equipamento para contar aos clientes sobre as características de casa, enquanto também mostra a sua funcionalidade de casa inteligente. Estamos formatando pacotes com base nesta oferta e estamos obtendo resultados muito favoráveis ", diz Jon Stovall, fundador da Energy Squad.

5 de jan de 2017

Na CES 2017 os assistentes digitais retomam a corrida pela "casa inteligente"

O comando de voz, baseado em conceitos de Inteligencia Artificial, pode chegar a 40 milhões de lares em 2021. Por enquanto, o dominio deste mercado é da Amazon.

Durante anos, os maiores nomes da tecnologia abarrotaram o piso da Consumer Electronics Show com geladeiras, interruptores de luz e fornos de microondas para visualizar um mundo futurista onde você poderia controlar cada aparelho em casa com sua voz.

Mas a maioria destes produtos, atolados por software proprietário e interfaces difícieis de navegar, não conseguiram atingir o mercado de massa

Este ano pode ser diferente. Ajudado pelo novo software de inteligência artificial que facilita a compreensão do discurso pelos gadgets, gigantes da tecnologia liderados pela Amazon. estão travando uma corrida acirrada pelo domínio dos assistentes domésticos digitais.

Para ler a noticia completa direto do site da Bloomberg, clique aqui