18 de jun de 2015

Comportamento do mercado de Automação Residencial: uma pausa para reflexão

Um novo relatório do Argus Insights, da Califórnia., afirma que, apesar de automação residencial ter obtido grande atenção e experimentado um robusto crescimento em 2014, o setor agora está "perdendo rapidamente o ímpeto." De acordo com um comunicado de imprensa emitido ontem, levantamento de dados mostram que a partir de maio 2015 a demanda dos consumidores por dispositivos domésticos conectados, como termostatos, lâmpadas, fechaduras, sensores e câmeras experimentou sua primeira queda abaixo do nível de um ano atrás, um sinal de que o interesse do consumidor mostra sinais de estagnação.

Mas há uma boa notícia neste relatório: a de que "a análise de mercado detalhada da razão por trás dos consumidores mostrarem interesse em declínio parece abrir a porta para um aumento do nível de oportunidades para os fabricantes e para os profissionais do mercado de casas conectadas."

Sinal de que, embora os produtos sejam cada vez mais conectáveis e simples em sua essência, o trabalho de consultores, projetistas e integradores ainda é e será por um bom tempo imprescindível para melhor aproveitar os benefícios da tecnologia doméstica.

Fonte pesquisada: www.sdmmag.com 

1 de jun de 2015

Qual o tamanho do mercado norte americano de Automação Residencial?


Estudo publicado pela CEDIA recentemente aponta os seguintes números para o mercado de Automação Residencial nos EUA:
- volume de negócios de U$ 14 bilhões anuais
- cerca de 8500 empresas integradoras
- estas empresas entregam na média 50 projetos ao ano e existem há 16 anos
- entre 2012 e 2014 o mercado cresceu a uma taxa de 10 a 12% no número de projetos

Comparativamente, no ultimo levantamento feito pela AURESIDE no final de 2013, tivemos estes dados:
- temos cerca de 600 empresas integradoras
- cada uma entrega em média 18 projetos ao ano
- apenas 28% destas empresas se dedicam exclusivamente à Automação Residencial
- o crescimento no numero de projetos entre 2010 e 2013 foi da ordem de 25 a 30% ao ano

A AURESIDE inicia uma nova pesquisa e pretende atualizar estes números até a próxima edição do Congresso Habitar no final de julho