26 de ago de 2015

SEBRAE INTELIGENCIA aponta em relatório o potencial da Automação Residencial

Divulgado nesta data, o boletim produzido pelo SEBRAE INTELIGENCIA  traduz em números e em tendencias positivas o potencial latente das soluções de Automação Residencial no cenário da construção civil atual. É possível baixar este relatório completo clicando aqui


10 de ago de 2015

The Wall Street Journal: Sobre casas inteligentes...

(Traduzido e adaptado de artigo publicado em 6 de agosto de 2015)

Até o final deste ano, cerca de 20 milhões de famílias nos EUA terão algum tipo de dispositivo de "casa inteligente", o dobro de 2012, de acordo com a Strategy Analytics Inc., uma firma de pesquisa de mercado de tecnologia global com sede em Newton, Massachusetts . Apple, Google e Samsung estão lançando plataformas com uma gama de produtos para este mercado. Construtores de moradias estão incluindo cada vez mais sistemas e aplicativos pré-programados de modo que os proprietários podem controlar remotamente a sua iluminação, climatização, música, fechaduras, câmeras e dispositivos de segurança. Até mesmo alguns apartamentos de aluguel estão sendo equipados com estes sistemas agora.

Mais pessoas podem agora abrir a porta da frente antes de chegar do trabalho, manter um olho sobre a irrigação das plantas de longe e comandar a máquina de café para ligar quando os sensores detectam que elas já deram um passo para fora da cama.

Mas alguns proprietários encontram-se frustrados com a proliferação desta tecnologia doméstica . Eles se queixam de sistemas complexos para tarefas simples, como ter que usar "algoritmos de aprendizagem" para acender luzes. Percebem que suas preferências talvez não tenham sido bem entendidas. Como resultado, eles estão sendo mais seletivos sobre quais destas amenidades tecnológicas serão instaladas em suas casas.

Paul Wright não é um entusiasta da tecnologia nato  Mas ele se preocupa com economia de energia. Como diretor do Instituto de Energia e Clima de Berkeley e professor de Engenharia Mecânica na Universidade de Berkeley, a sua investigação inclui materiais inteligentes, objetos inteligentes e projeto de sistemas de sensores sem fio.

Mas no ano passado, quando o Sr. Wright, de 68 anos, recebeu como presente de aniversário um "termostato inteligente" com programação própria , que envia um alerta se a casa está muito quente ou muito fria e pode ser controlado a partir de um smartphone, ele o deixou em uma prateleira, onde ainda está, desinstalado, hoje. "Não vale a pena", diz ele.

Mike Fitzpatrick, um fabricante de móveis de 53 anos em West Borough, Mass., estima que  gastou 60.000 dólares ao longo dos últimos anos-assim como centenas de horas de angústia com um sistema de automação e controle inteligente que deveria deixá-lo controlar as luzes, áudio / vídeo, temperatura e segurança em sua casa de 5.000 pés quadrados.

"Eu sou um cara muito prático, mas mesmo eu não consigo descobrir o que fazer quando algo dá errado", diz ele. Luzes piscando constantemente,  campainha desligada e os controladores não funcionam. Agora, quando ele renova uma casa, ele aconselha seus clientes a evitar tais sistemas automatizados.

Já um porta-voz da Control4, um sistema que é usado por Toll Brothers (uma grande construtora de casas), diz que as pesquisas da empresa mostram satisfação do cliente e que a sua rede de concessionárias está bem treinada em atendimento ao cliente. O porta-voz acrescenta que o Sr. Fitzpatrick tinha equipamentos de iluminação incomuns que não eram compatíveis com o tipo de dimmers Control4 instalados; e garante que o problema foi sanado.

A chave para o sucesso para obter casas inteligentes é reduzir o número de passos necessários para obter a integração, diz Therese Peffer, que vem estudando termostatos por mais de uma década como pesquisador no Instituto Califórnia de Energia e Meio Ambiente, em Berkeley. Em um estudo, ela escreveu sobre a utilização de termostatos inteligentes e tradicionais. Ms. Peffer percebeu que os  participantes tiveram particularmente pouca tolerância quando chamados aparelhos inteligentes, usando algoritmos de aprendizagem, aplicativos alterados de forma incorreta com base em padrões de comportamento de um sujeito porque eles aprenderam algo errado (por exemplo, se alguém veio para casa mais cedo um dia, que se tornou um novo "padrão" para o aparelho).

Alguns proprietários dizem que o que realmente importa é o apoio. Don Stanutz,  engenheiro químico de 64 anos, contratou uma empresa de instalação local chamado IGS Homeworks para instalar um sistema que lhe permite controlar todas as luzes em sua casa de 7.000 pés quadrados. Ele diz que o monitoramento 24/7 já o salvou um número de vezes quando as coisas deram errado. "Eu só quero funções simples, tipo ligado e desligado. Isso é tanto quanto eu quero estar envolvido ", diz ele.

Outros encontraram aplicações inusitadas para seus sistemas domésticos inteligentes. Michael e Suzanne Wastvedt têm um sistema  Nexia  que acompanhou a nova casa que eles compraram em San Diego no ano passado. Sra Wastvedt, 45, uma designerer de interiores, configurou o sistema ela mesma e Mr. Wastvedt, 45, um contador, rapidamente descobriu como fazê-lo também para atender suas necessidades: Agora, quando ele chama seus filhos para jantar e eles não vêm para baixo, ele corta remotamente fora do X-Box e TV; ambos monitorar o progresso de seus empreiteiros e paisagistas usando a câmera de vídeo. "Temos certeza de que eles estão realmente lá-e não apenas fazendo hora e, em seguida, saindo mais cedo", diz a Sra Wastvedt.

Mike Hoffman, que também vive em San Diego, descobriu outra aplicação incomum para o seu sistema de Nexia. O engenheiro de 53 anos de idade, percebeu que algo estava errado na cobertura de sua banheira de água quente. O principal suspeito: Gus, seu grande labrador amarelo, que o Sr. Hoffman especulava que se sentasse na capa quente da banheira em sua ausência. Gus nunca fazia isto quando o Sr. Hoffman estava em casa. Assim, o Sr. Hoffman conectou suas câmeras, sensores de movimento e a torneira automática ao seus sistema de monitoramento sem fio, permitindo-lhe controlar remotamente todos eles.

Apontando a torneira e uma de suas câmeras de segurança para a banheira de água quente, ele foi trabalhar e, monitorou os eventos  no seu computador. Com certeza, Gus se sentou na cobertura quente, e o Sr. Hoffman activou de imediato a torneira. "Você tem que discipliná-los no ato", explica ele.



1 de ago de 2015

Projeto Prédio Eficiente - visita guiada à CasaE Basf

Fechando a semana do Congresso Habitar, a AURESIDE realizou um encontro entre associados e congressistas nas dependências da CasaE para um tour guiado e apresentação das soluções de automação utilizadas na casa pelos apoiadores do projeto Prédio Eficiente

Nesta edição, contamos com a participação da Biltech, D-Link, Flexautomation e Associação KNX,