29 de fev de 2016

Amazon aparece como um surpreendente líder no mercado de casas inteligentes

Fonte: Forbes

Os gigantes da tecnologia têm tentado descobrir o mundo dos gadgets domésticos conectados à Internet - tudo, desde lâmpadas até fechaduras das portas e termostatos. O mercado ainda está começando a se desenvolver , mas parece promissor o suficiente para que empresas como a Apple  e Google estejam descobrindo ângulos para ele com seus próprios ecossistemas.



Mas ultimamente, a Amazon está ocupando cada vez mais espaço nessa conversa, de acordo com um novo estudo da firma de pesquisa de mercado Argus Insights. O Amazon Echo, um alto-falante em forma de tubo com preço em torno de U$ 180 que o morador pode comandar com a sua voz, tornou-se uma das plataformas mais populares para este tipo de dispositivos.

Com base em 576.000 comentários sobre casa inteligente reunidos desde janeiro de 2015, Amazon Echo tornou-se um dos ecossistemas de casa inteligente mais discutidos junto com o aplicativo HomeKit da Apple que segue próximo em segundo. O programa "Works with Nest" para integrações de terceiros com os produtos Nest da Google está em terceiro lugar.

Aqui está um gráfico da Argus mostrando o volume de menções que cada uma dessas três plataformas para casa inteligente obteve na pesquisa





Echo incorpora um assistente inteligente baseado em voz da Amazon,  o Alexa, que fornece uma espécie de "inteligência ambiente" que torna mais fácil de interagir com dispositivos de controle ao redor da casa. É muito mais simples do que a maioria dos dispositivos domésticos inteligentes que exigem que o usuário utilize seu smartphone, desbloqueando suas funções normais e encontrando o aplicativo para fazer algo tão simples como acender uma luz.

"Amazon é realmente o primeiro a utilizar voz de campo distante - isso é um problema não-trivial", disse Stuart Lombard, presidente e CEO da Ecobee, o fabricante de um termostato conectado via WiFi. "Percebemos que a voz é uma maneira muito mais simples  de interagir com dispositivos da casa."

Este ano na CES em Las Vegas, muitos fabricantes de gadgets para casa inteligente pareciam estar colocando o seu peso por trás de integrações com o Echo. As grandes empresas de segurança em casa como Vivint e Alarm.com anunciaram integrações com os produtos da Amazon.

A Amazon também está fazendo o seu próprio trabalho na integração de novas categorias de dispositivos de casa inteligente diretamente com o Echo. No início deste mês, a Amazon adicionou termostatos como categoria de dispositivo que pode ser integrado diretamente com Echo. Isto é feito através de uma API Amazon chamada Alexa Connected Home Skills. Isso significa que os usuários podem dizer coisas como "Alexa, mude a temperatura para 22º."

O termostato é apenas a segunda categoria de dispositivo de casa inteligente que a Amazon tem integrado com Echo diretamente. A primeira integração de dispositivos de casa inteligente começou com sistemas de iluminação em outubro passado. Há claramente mais destas integrações a caminho.

Claro, a casa inteligente está longe de ser o único propósito do Echo. Uber e Spotify estão encontrando seu caminho para o dispositivo. Para qualquer dispositivo ou serviço que necessitem de processamento de linguagem natural robusto em casa, Echo tornou-se um player importante.

A pesquisa Argus dificilmente é conclusiva para sabermos quem "ganha" o ecossistema da casa inteligente,  simplesmente rastreando uma pequena porção de sentimento do consumidor. Mas está mostrando o forte impulso na abordagem da Amazon. HomeKit da Apple permite que dispositivos sincronizem-se no iOS e usa um assistente baseado em voz da empresa Siri. Mas para a maioria, a experiência ainda gira ao redor do iPhone.

O que os fabricantes de aparelhos de casa inteligente provavelmente precisam fazer é incorporar interações baseadas em voz em seus próprios dispositivos de modo a proporcionar essa experiência de "inteligência ambiente" que Echo já oferece. Lâmpadas controladas por smartphones e termostatos foram divertidos no início. Agora tudo isso já parece sendo superado...

25 de fev de 2016

Telefonica e Huawei lançam plataforma de casa inteligente para América Latina


(Fonte: TelecomPaper)

Telefônica e Huawei estão projetando em conjunto uma plataforma de casa inteligente para o mercado latino-americano a ser lançada comercialmente em 2016. 

Em um comunicado divulgado durante o Mobile World Congress, a Telefônica disse que vai usar um sistema baseado na plataforma nuvem da Huawei de casa inteligente e uma interface exclusiva para fornecer a solução para clientes da América Latina como uma experiência de casa inteligente inovadora, tornando-se a primeira operadora a oferecer esses serviços na região.

A  Telefônica acrescentou que os ensaios da oferta já começaram e que a plataforma da Huawei é concebida como um ecossistema aberto, no qual os OEMs e atores relevantes na área de  Internet das coisas podem ser integrados e tornarem-se parte de uma forte proposta de casa inteligente, estendendo seu alcance de mercado.

Turma 97 do Curso de Integrador encerrada em São Paulo

Mais uma turma realizada, desta vez em São Paulo - estamos nos aproximando da centésima edição deste programa nacionalmente reconhecido!

Nesta edição tivemos a participação das empresas associadas ItecHome, Biltech,Neocontrol, MyWay, Iluflex e Struxi a quem agradecemos pela colaboração!
Neste ano de 2016 além das turmas em São Paulo (sempre nos meses pares), estão previstas turmas em Curitiba (março), Fortaleza (maio), Goiania (julho), Salvador (setembro) e Rio de Janeiro (novembro). Participe! Todos os detalhes em www.cursodeintegrador.com.br 

22 de fev de 2016

Microsoft, Intel e Samsung (entre outros) criam aliança para casas conectadas

Fonte: Open Connectivity Foundation

A casa conectada tem um grande problema. Poucos dos dispositivos realmente "falam" um com o outro. Graças a protocolos e empresas criando ecossistemas proprietários que só permitem que seus produtos falem com seus próprios produtos, os usuários são forçados a abrir vários aplicativos para ter acesso à casa do futuro. Assim, alguns grandes nomes da tecnologia estão na esperança de resolver o problema de fragmentação através da formação de uma aliança IoT chamada Fundação Conectividade Aberta (Open Connectivity Foundation). É tipo um Super Amigos mas para equipamentos domésticos inteligentes.

Composta por Microsoft, Intel, Samsung, Qualcomm, Cisco, GE Digital e outros, a fundação tem como objectivo criar protocolos de código aberto que qualquer fabricante pode implementar em seus produtos. A aliança espera alcançar este objetivo independentemente do chipset ou do sistema operacional do dispositivo. Ela também quer ter certeza de que qualquer um que deseje criar um dispositivo de Internet das Coisas pode usar seus protocolos para se conectar a dispositivos de grandes empresas. É um objetivo nobre que já estão faltando alguns jogadores-chave deste mercado, incluindo Apple, Google, Philips e WeMo.

HomeKit da Apple faz a mesma coisa, mas exige que os fabricantes selecionem chipsets seguros. E, claro, ele só funciona em dispositivos iOS. Weave, protocolo de comunicação Brillo e do Google (feito em parceria com a Intel e Qualcomm) não chegou realmente a ser ofertado e ainda está convidando desenvolvedores para testá-lo.

Se OCF pode fazer o que a Apple faz, mas sem a necessidade de possuir um iPhone, pode ser exatamente o que uma casa conectada precisa. Uma maneira de se conectar verdadeiramente.

Para ver a nota de lançamento no site oficial da Fundação, clique aqui

21 de fev de 2016

Congresso Nacional de Eficiência em Edifícios - online e gratuito

1° Conefec - Congresso Nacional de Eficiência em Edifícios - será realizado online entre os dias 23 a 29 de fevereiro
Entre os dias 23 e 29 de fevereiro, será realizado o 1º Congresso Nacional de Eficiência em Edifícios, que conta com apoio de divulgação da AURESIDE. O evento terá transmissão on-line, as inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo website: http://www.conefec.com.br . Serão 27 palestrantes nacionais e internacionais, entre eles representantes dos Estados Unidos, China, México, Alemanha e Portugal.

Segundo o idealizador do Conefec, o arquiteto Filipe Boni, a ideia do congresso surgiu da necessidade de reinventar o cenário do mercado imobiliário. Durante o evento serão apresentados temas como eficiência energética, inteligência imobiliária, viabilidade, certificações, produtividade, arquitetura, gerenciamento de obra, entre outros.

O objetivo do Conefec é demonstrar, por meio de renomados palestrantes nacionais e internacionais, como elevar a eficiência durante todas as etapas de projeto e construção, desde os estudos iniciais de viabilidade até a sua conclusão.

Descritivo das palestras e inscrições 
www.conefec.com.br