29 de jan de 2017

O progresso do mercado de Automação Residencial é evidente

Relatório lançado mundialmente pela empresa de pesqusa de mercado IHS Markit mostra projeções importantes dos numeros desta evolução.

O gráfico abaixo pode ser utilizado para esta comparação, mostrando numeros de 2015 e suas respectivas projeções até 2020


Importante enfatizar a definição adotada pela empresa para "casa inteligente":

"A IHS Markit define casa inteligente como aquela na qual os equipamentos tomam decisão baseados em algum tipo de input. Por exemplo, um sensor atrelado a um termostado detecta que não há ninguem na casa então desliga as luzes, tranca as portas, fecha a garagem e desabilita o funcionamento da cafeteira.

O morador vai receber uma informação que estas ações foram tomadas na sua casa, mas a principio não precisaria se conectar e utilizar o aplicativo para enviar este tipo de comando uma vez que todo sistema está integrado."

Para baixar o relatório completo: https://www.ihs.com/

24 de jan de 2017

Depoimento de uma arquiteta que incluiu a automação residencial em seus projetos

A AURESIDE, atua há dezessete anos no mercado de automação residencial e predial e tem como um de seus objetivos treinar e capacitar profissionais, incluindo capacitações específicas como Áudio e Vídeo, Gerenciamento de Negócios e de Projetos. Com isso, a principal portal de entrada neste universo é através do curso de certificação, que já ultrapassa 100 turmas pelo Brasil todo, tendo capacitado e certificado mais de 1500 profissionais.

Contudo, dentre esses profissionais sempre há alguns participantes que se destacam pela dedicação, objetividade e interesse. Visando compartilhar um pouco mais do perfil de um destes participantes, vocês vão conhecer uma história verídica de como AURESIDE agrega valor ao mercado.

 A arquiteta Merícia Caldas  (ao lado) é um desses exemplos. Formada pela UFBA e com mestrado em Conforto Ambiental (UFRJ), atualmente reside no Rio de Janeiro atuando como profissional no eixo Salvador-Rio. Ela participou ativamente do Curso de Integrador em 2016 através de perguntas e curiosidade por buscar entender como o mercado funciona e como ela, como arquiteta, poderia fazer parte deste mercado.

Abaixo vocês vão encontrar alguns trechos da conversa que tivemos com ela, colhendo seus depoimentos para registrar aqui
.
A Arquiteta comenta que desde o início da carreira esteve engajada em a arquitetura voltada para a sustentabilidade. Até então a visão de sustentabilidade era mais técnica com estudos de materiais existentes no mercado, suas características físicas, inerciais e funcionais. Contudo, com o tempo essa visão ampliou-se para um âmbito mais global onde as pessoas em geral, profissionais liberais, especificadores de produtos e fabricantes passariam a atuar diretamente para o bem-estar do Planeta.
“Durante muito tempo observei a automação com bons olhos, porém tinha minhas dúvidas por ser um produto ainda muito seletivo e caro”, declara a arquiteta. Ela conta que pesquisou sempre sobre as novas tecnologias e, à medida que o fazia, se conscientizava que a Automação Residencial, principalmente depois dos sistemas sem fio, se tornara mais dinâmica e com custo de implantação naturalmente menor.

Com isso, identificou que era o momento de entrar no mercado de automação e passar seus conhecimentos aos clientes e novos profissionais. Ela compartilha que na primeira oportunidade, entrou em contato com a AURESIDE, em São Paulo, onde obtive as respostas que procurava ao fazer o Curso de Integrador, nos bate-papos informais com os professores e profissionais e nas leituras das publicações, livros e cursos online. “A AURESIDE, através da sua equipe, me ajudou muito a entender como o mercado funciona e como eu deveria dirigir meus esforços, afirmou Merícia.

Esse foi o primeiro passo, para pôr em prática o conhecimento adquirido após meses de pesquisas e negociações. Ela conta que pesquisou protocolos e empresas de automação residencial, tentando vinculá-las às exigências de áudio e vídeo, iluminação e motorização de cortinas, mas também e principalmente, de segurança, economia e sustentabilidade.

Desde então, a arquiteta Mericia Caldas realizou alguns projetos relacionados a esse tema e selecionou dois dos seus principais de automação para compartilhar como a automação a ajudou a se diferenciar no mercado.

Ela relata que o primeiro, na cidade de Salvador, atuou no suporte técnico para o desenvolvimento e implantação do projeto de automação residencial do apartamento decorado do empreendimento da Construtora Odebrecht, Ed. D’Azur em Jaguaribe, realizado pela empresa Home Smart Home, de Jesus Garcia Neto, também associado à AURESIDE

Embora a implantação da automação do apartamento decorado ainda esteja em andamento, já foi confirmada a contratação da automação de uma das unidades. Esse é um ótimo sinal de oportunidades no empreendimento de 28 apartamentos - distribuídos em duas torres de 14 andares, com vista para o mar e área de 235m² - e que possui um perfil de moradores exigentes com qualidade, conforto, economia e segurança.

 “Acreditamos que novos projetos surgirão a partir do contato empírico dos moradores com o apartamento decorado e que essa experiência venha corroborar o conceito do empreendimento para as necessidades profissionais dos proprietários e seu círculo de relações sociais”, afirma.

Abaixo vocês poderão encontrar mais detalhes sobre o sistema de automação realizado pela  Home Smart Home no projeto do Ed. D’Azur em Jaguaribe:
§   Controle de iluminação das salas e varandas.
§   Controle total de Home Theater com projetor, telão retrátil, sistema de som.
§   Fechadura digital.
§   Câmara IP.
§   Persianas motorizadas das varandas.
§   Comando pelos smartphones e por painel digital instalado na sala.
§   Total de 20 saídas automatizadas.

Já o segundo projeto, foi realizado no evento de decoração Morar Mais 2016 no Clube de Regatas do Flamengo, Rio de Janeiro - esse em parceria com a arquiteta May Lee Chaves no projeto arquitetônico. “Implantamos um espaço multifuncional de 36,00m² semelhante à realidade imobiliária do Rio através da integração do Estar Social composto desde o Home Theater, Home Office, ambiente de leitura à Varanda Gourmet com cozinha e mesa de apoio”, conta Mericia orgulhosa sobre a repercussão do espaço no evento.

Com a experiência nesse evento por dois anos consecutivos, a Arquiteta identificou a oportunidade de atuar com o público não só como arquiteta, mas também como divulgadora da automação residencial, sua sustentabilidade, viabilidade econômica, instalação e vantagens. Esse ano contou com uma empresa local como parceira neste projeto.

O sistema de automação do espaço Estar Social do Morar Mais Rio 2016 foi composto por:
§   Iluminação composta por 08 circuitos de iluminação ON/OFF, dimmer, dimmer para fita de LED 12V (nesses circuitos foram criadas cenas de acordo com o dia a dia do usuário).
§   Trilho de cortina em tecido e rolô ambos motorizados, onde os mesmos foram programados para serem trabalhados em sintonia com os sensores de luminosidade resultando em economia de energia.
§   Sensores de iluminação, fumaça e incêndio.
§   Sensor multifunção de temperatura, luminosidade e movimento.
§   Câmera IP integrada a automação.
§   Monitoramento do consumo de energia onde existem módulos de automação informando por relatórios e fazendo comparativos, resultando em gerenciamento do consumo de energia.

A arquiteta Merícia conta que tiveram um número significativo de interessadas no projeto de divulgação, abrindo oportunidades como profissionais de arquitetura e para a empresa parceira da automação. Além disso afirma, que foi grande também o interesse por parte de empresas da área de decoração em automatizar seus showrooms.

Dado o contexto, ela aconselha aos profissionais de arquitetura “abraçar a automação e pensar nos projetos com os benefícios que essa proporciona aos clientes. É nosso dever buscar a capacitação técnica na automação como forma de solucionar e traduzir os desejos dos clientes e suas buscas às novas realidades, além de interagir com os integradores de automação”.

“Durante o evento, muitos foram os clientes que se maravilharam com as possibilidades da automação e com as experiências empíricas que os arquitetos proporcionaram. Os clientes puderam vivenciar de forma clara e dinâmica seus anseios de segurança, economia e conforto. Esses se identificaram com o sistema wireless que proporciona instalação sem muitas obras além da possibilidade de modificações da automação e cenas podendo adaptá-las sempre que necessário à nova realidade do cliente”.


Na opinião da entrevistada, “como arquiteta e para seus clientes, ficou claro que a automação é um investimento para o futuro com aquisições e desfrute imediato. Com isso, contratos e orçamentos foram solicitados durante o evento com foco em empreendimentos residenciais e empresariais. Isto é, objetivo alcançado com sucesso”. 

21 de jan de 2017

Casa utilizada como piloto para mostrar automação está a venda por U$ 625 mil

Em agosto de 2015, o site de tecnologia de consumo CNET comprou uma casa na região de Louisville, Kentucky, com o propósito expresso de testar os mais recentes produtos de tecnologia para casa. Agora, essa propriedade, uma casa  dos anos 90, está à venda, mantendo algumas das suas mercadorias conectadas para um morador que se interesse por casas inteligentes.

Desde que assumiu a casa em 2015, a equipe CNET tem recheado a mesma com dezenas de produtos domésticos inteligentes (no valor de 26.450 dólares na verdade), desde de um Amazon Echo e um termostato Nest até um ventilador de teto inteligente Haiku e uma lavadora e secadora inteligente da Whirlpool. Sendo um campo em constante expansão de produtos, faz sentido tentar mostrar o seu potencial de atualização, deixando a casa totalmente equipada. E CNET foi capaz de fazer isso, o que está refletido no vídeo de 360 ​​graus, bem como esta visão geral de tudo o que aprenderam com a experiência.

Como se pode ver a partir do vídeo, produtos domésticos inteligentes foram incorporados em cada ambiente da casa, basicamente. Um controle de acesso inteligente e a iluminação na sala de estar, uma frigideira e um fogão inteligentes na cozinha, um ventilador inteligente e interruptor de luz no quarto, e assim por diante.

É importante notar que a CNET - que está colocando essa casa à venda simplesmente porque está começando em uma casa maior para testar novos produtos que seriam considerados "state of the art" para 2017 - retirou algumas das comodidades como o refrigerador inteligente Samsung Family Hub e as persianas inteligentes.

OBS: o investimento feito em automação citado acima (da ordem de U$ 26 mil) representa então cerca de 4% do valor de venda da casa, uma vez que a CNET está pedindo $ 625.000,

Imagens da casa podem ser vistas neste link

20 de jan de 2017

Usando o assistente virtual como instrumento para vender casas

Fonte: TecHome Builder

A Energy Squad, incorporadora com sede em Maryland (EUA), está lançando um empreendimento envolvendo seus parceiros construtores, utilizando casas modelo e introduzindo a cada vez mais popular plataforma de controle de voz da Amazon, o Alexa. O conceito, em última análise, resume-se a usar a plataforma Alexa como uma ferramenta de vendas para aumentar o interesse dos clientes em tecnologia e fechar mais negócios.

"Estamos incluindo o Amazon Alexa em nossas casas modelo e utilizamos o equipamento para contar aos clientes sobre as características de casa, enquanto também mostra a sua funcionalidade de casa inteligente. Estamos formatando pacotes com base nesta oferta e estamos obtendo resultados muito favoráveis ", diz Jon Stovall, fundador da Energy Squad.

5 de jan de 2017

Na CES 2017 os assistentes digitais retomam a corrida pela "casa inteligente"

O comando de voz, baseado em conceitos de Inteligencia Artificial, pode chegar a 40 milhões de lares em 2021. Por enquanto, o dominio deste mercado é da Amazon.

Durante anos, os maiores nomes da tecnologia abarrotaram o piso da Consumer Electronics Show com geladeiras, interruptores de luz e fornos de microondas para visualizar um mundo futurista onde você poderia controlar cada aparelho em casa com sua voz.

Mas a maioria destes produtos, atolados por software proprietário e interfaces difícieis de navegar, não conseguiram atingir o mercado de massa

Este ano pode ser diferente. Ajudado pelo novo software de inteligência artificial que facilita a compreensão do discurso pelos gadgets, gigantes da tecnologia liderados pela Amazon. estão travando uma corrida acirrada pelo domínio dos assistentes domésticos digitais.

Para ler a noticia completa direto do site da Bloomberg, clique aqui

3 de jan de 2017

Casas (mais) inteligentes na CES 2017?

 Fonte: IDGNow!
A chamada casa inteligente não é mais notícia nova. Muita gente já mora em uma casa desse tipo há algum tempo, cheia de sensores, eletrônicos, câmeras, reconhecimentos de voz e aplicações e conexões inteligentes com a nuvem, mas a maioria das ações ainda precisa ser iniciada pelo próprio usuário – seja agendar um compromisso, ligar uma coisa à outra, dizer tudo que deve ser feito e por aí vai. A próxima tendência deve ser realmente viver em uma casa inteligente, não apenas programar uma.
Por isso, queremos ver na CES 2017 o próximo passo da chamada casa inteligente: aparelhos inteligentes que funcionam juntos para criar uma casa inteligente em que todos os gadgets conversem uns com os outros, independente das suas fabricantes e dos protocolos usados para comunicação. Um sistema que antecipe as necessidades do usuário, que aprenda a rotina da sua família e se adapte à ela, para que você não precise programar ou escrever scripts para todas as eventualidades – porque isso apenas não é possível. O reconhecimento de voz obviamente será parte da solução, assim como o controle de iluminação, gerenciamento de energia, segurança, controle de clima. E quem sabe também sistemas de áudio e vídeo? A solução não virá de uma única fabricante no evento. Todas as empresas e todos os padrões precisarão se unir para fazer isso acontecer. Será que veremos isso na CES 2017? Matéria completa sobre as tendencias na CES 2017 pode ser vista neste link