30 de mar de 2018

Evolução da telefonia movel no Brasil

Estatisticas recentes levantadas pela ANATEL mostram a evolução das tecnologias ligadas à telefonia móvel no Brasil. Do relatório divulgado, destacamos o texto abaixo:
Na comparação com janeiro de 2018, foi registrado crescimento das linhas 4G de 2.072.500 unidades (+ 1,96 %), em fevereiro, e também houve aumento da tecnologia utilizada em aplicaçõ es Machine to Machine (M2M), como telealarmes, automação residencial e rastreamento de automóveis,  com mais 277.233 linhas.
As outras tecnologias: CDMA (2G), GSM (2G), Dados banda larga (3G) e WCDMA (3G) apresentaram redução.Na comparação de 12 meses, as linhas 4G (LTE) apresentaram crescimento de 40.963.592 unidades (+61,50%) e também houve ampliação da tecnologia M2M, com aumento de 2.685.632 linhas.  
Mais detalhes podem ser vistos clicando aqui

22 de mar de 2018

Projeções globais do mercado de Automação Residencial

(Fonte: Industry Today, março de 2018)

Estima-se que o mercado de Automação Residencial atinja globalmente a cifra de US $ 113,82 bilhões em 2025, partindo de de US $ 35,24 bilhões em 2016. Este mercado é descrito como uma variedade de recursos locais ou baseados em nuvem que permitem a uma casa controlar suas várias operações, como  temperatura, abertura de portas, luzes, entretenimento e controles de segurança com a ajuda de dispositivos, como smartphones, tablets e controles remotos. O conceito de domótica já existe há muito tempo, no entanto, ultimamente, devido à confluência adequada de tendências vitais do mercado, estratégicas, regulatórias e tecnológicas, espera-se que o mercado de automação residencial testemunhe uma nova fase na tendência de crescimento.

A tendência chave que afetará predominantemente o mercado de automação residencial no próximo ano é que a maioria das pessoas está preparada para ter acesso a uma enorme quantidade de dispositivos de automação residencial em quase todos os aspectos do seu estilo de vida. Neste novo contexto imagina-se que a tecnologia de comando de voz estará presente em quase todos os dispositivos. Atualmente, a tecnologia de comando de voz está presente apenas em dispositivos limitados e um deles é o dos smartphones. Além disso, essa tecnologia também deve eclipsar a tecnologia de controle remoto. Nos próximos anos, a maioria será capaz de testemunhar a combinação di integração de produtos e sensores, ao contrário das tecnologias e conexão locais e limitadas que tivemos até hoje.

O mercado global de automação residencial por produtos está fragmentado em Centros de Entretenimento, Controle de Acesso e Segurança, Controle de Iluminação, Controle de Climatização  e outros . A segmentação de mercado de automação residencial é baseada nos vários produtos de automação residencial para melhorar a eficiência e a segurança.  Espera-se que o segmento de produtos de Controle de Acesso e Segurança adquira a maior parcela atribuída ao aumento das ocorrências criminais, bem como o aumento da população jovem e trabalhadora que procura monitorar idosos e crianças por meio de vigilância por vídeo.

Esta pesquisa fez levantamentos exaustivos em diversas áreas do mercado global de Automação residencial. Abaixo estão alguns dos principais players do mercado que participaram: Johnson Controls, Siemens AG, Legrand, Schneider Electric SE, Honeywell International, Inc., Control4 Corporation, ABB Ltd., Crestron Electronics Inc., Leviton Manufacturing Company, Inc., Lutron, PLC Ingersoll-Rand, Vantage Controls.

21 de mar de 2018

Conexão Lar inteligente - primeiros eventos realizados

O novo projeto idealizado pela AURESIDE denominado  "Conexão Lar Inteligente" tem por objetivo aproximar as soluções de Automação Residencial dos clientes finais e dos prestadores de serviços de instalação. Nos primeiros eventos realizados contamos com o apoio e participação de nossos associados MyWay e Neocontrol que levaram suas soluções e equipamentos para as apresentações.

Os primeiros eventos do projeto foram realizados nas Lojas Leroy Merlin do Lar Center e Interlagos, ambas em São Paulo.

As apresentações despertaram interesse e resultaram em muitas consultas de instaladores, eletricistas e moradores solicitando da AURESIDE novos eventos e treinamentos neste tema.

Em breve serão divulgados novos eventos do projeto.

8 de mar de 2018

Mercado global de Automação Residencial deve atingir 21 bilhões de dólares até 2020

De acordo com um novo relatório da Zion Market Research, o mercado global de automação residencial foi avaliado em cerca de US $ 5,0 bilhões em 2014 e deverá atingir US $ 21,0 bilhões em 2020, crescendo em CAGR de cerca de 25% entre 2015 e 2020.



O relatório Home Automation Market inclui dados significativos  para ajudar a entender as tendências do mercado e os desafios da indústria para o futuro. O estudo é segmentado com base no tipo, aplicação / usuários finais, tipo de produtos e várias geografias importantes, como Estados Unidos, China, Europa, Japão e Sudeste Asiático e Índia.

O relatório de pesquisa abrange o tamanho e a participação do Mercado de Automação Doméstica atual e suas taxas de crescimento com base em dados histológicos e futuros, juntamente com o perfil da empresa dos principais players / fabricantes. A informação aprofundada por segmentos do Home Automation Market ajuda a monitorar o crescimento futuro e a tomar decisões importantes para o crescimento da indústria. A informação sobre tendências e desenvolvimentos concentra-se em mercados e materiais, capacidades, tecnologias e a estrutura em mudança do Mercado de Automação Doméstica.

A pesquisa fornece perfis de empresa, imagem de produto e especificações, vendas, compartilhamento da indústria e informações de contato de players de mercado chave do mercado de automação doméstica.

O tamanho e a participação do mercado estão crescendo a um ritmo acelerado e com o aumento da inovação tecnológica, da concorrência e das atividades de fusões e aquisições na indústria, muitos fornecedores locais e regionais oferecem produtos de aplicativos específicos para usuários finais variados. Os novos fabricantes participantes no mercado estão achando difícil competir com os fornecedores internacionais com base na qualidade, confiabilidade e inovações em tecnologia.

Geograficamente, este relatório é segmentado em regiões-chave, com tamanho, produção, consumo, receita (milhões de USD) e participação no mercado e taxa de crescimento do Mercado de Automação Doméstica nessas regiões, de 2016 a 2022 (previsão), cobrindo os Estados Unidos, a China , Europa, Japão, Sudeste Asiático e Índia e sua Participação (%) e CAGR para o período previsto de 2017 a 2022.


Destaques do Relatório de Mercado de Automação Residencial:

1) Global Home Automation Compartilhamento de mercado e avaliações de vendas com base em segmentos regionais e nacionais.

2) A indústria compartilha análise dos principais players do mercado.

3) Recomendações estratégicas para as novas empresas.

4) Previsões de mercado para 5 anos de todos os segmentos, sub-segmentos e mercados regionais mencionados.

5) Tendências do mercado (Drivers, Restrições, Oportunidades, Ameaças, Desafios, Oportunidades de Investimento e recomendações).

6) Planejamento de cenários competitivos nas principais tendências.

7) Perfis da empresa com suas estratégias, finanças e desenvolvimentos recentes.

8) Produção Análise das tendências da cadeia de suprimentos mais recentes avanços tecnológicos.

Mais detalhes podem ser encontrados em goo.gl/bqmW3g

2 de mar de 2018

VI Jornada de Automação realizada em São Paulo

Com um publico visitante superior a 150 profissionais do mercado foi realizada a VI Jornada de Automação pela AURESIDE no dia 1 de março de 2018. Além dos minicursos e exposições de produtos  apresentados por dez empresas associadas da AURESIDE o evento marcou também a comemoração do 18o. aniversário de fundação da entidade.

Esta Jornada foi realizada pela primeira vez nas instalações do Instituto de Engenharia de São Paulo (auditório principal, salas de aula e salão de exposições)



Clicando neste link você pode ver uma galeria de imagens deste evento







25 de fev de 2018

14 previsões para o futuro das casas inteligentes

A revista Forbes buscou opiniões de de especialistas e enumerou 14 tendencias para o futuro das tecnologias de casas inteligentes.

Confira abaixo:

1. Ajudar a resolver crises de segurança e privacidade

2. Maior integração de dispositivos domésticos inteligentes

3. A Inteligência Artificial será intensamente utilizada

4. Um foco em vigilância permenente

5. Novos casos de uso doméstico inteligente, inclusive diagnostico de aparelhos

6. Compartilhamento de dados dos moradores

7. Maior Eficiência, Controle e Personalização

8. Serviço ao cliente como um diferenciador

9. Mais preocupações de segurança

10. Padrões de compatibilidade cruzada mais elevados

11. Dispositivos de cozinha inteligentes

12. Espaços inteligentes fora da casa

13. A Substituição de Produtos ainda em "Fase de Teste" por alternativas definitivas

14. Aumento da Integração do Controle de Voz

Confira a matéria na íntegra clicando aqui

7 de fev de 2018

Tarifa branca ou sistema de automação?

Tarifa branca ou sistema de automação? Na ponta do lápis, qual a solução mais adequada para economizar na conta de luz?

Leia o artigo completo de autoria de George Wootton, nosso Diretor Técnico, publicado na revista Audio & Video edição 152

Link para o artigo http://www.aureside.org.br/_pdf/av_152.pdf 

5 de fev de 2018

Casas Inteligentes: uma emergente oportunidade no mercado imobiliário

Introdução: O Coldwell Banker é uma agencia de negócios e de financiamento imobiliário baseada nos Estados Unidos que há mais de tres anos divulga o conceito de "casas inteligentes" como um diferencial para o mercado e mantem informações sempre atualizdas a respeito direcionadas a agentes imobiliários e incorporadores em geral. Destacamos a seguir um artigo recente publicado no seu blog

Fonte: www.coldwellbanker.com/blog/

A adoção da tecnologia Smart Home cresceu 33% entre os consumidores dos EUA no último ano, mas poucos agentes imobiliários estão usando a tecnologia de casa inteligente com confiança e competência como um diferencial de negócios. Aqueles que aproveitam a tecnologia de casa inteligente em seus negócios ainda são os inovadores no segmento. Isso significa que, até agora, três anos depois do Coldwell Banker ter lançado esta iniciativa destacando a interseção de casas inteligentes e imobiliárias, os agentes que usam tecnologia de casa inteligente para comercializar casas e promover seus negócios são provavelmente ainda poucos.

Isso é exatamente o que um novo relatório de pesquisa, "Casas inteligentes: uma oportunidade emergente de imóveis" da empresa de pesquisa da indústria, T3 Sixty, descobre. Seu relatório, com base em uma pesquisa de 3.000 agentes e corretores, encontrou algumas tendências muito interessantes:

● 91% concordaram que destacar os recursos da casa inteligente seria benéfico como apelo de marketing

● Mais da metade disse que este fator beneficiaria suas listas sempre ou muito frequentemente

● 82% concordaram que a tecnologia Smart Home simplifica a venda de uma casa

● Quase 40% concordam que a tecnologia de casa inteligente ajuda uma casa a vender mais rapidamente - em cidades ou subúrbios e, independente do preço de lista

Saber por onde começar com tecnologia de casa inteligente e como incorporá-la pode ser inicialmente um desafio e leva muitos agentes a abandoná-la. O relatório fornece uma boa experiência para familiarizar-se com a tecnologia, cobrindo os tipos mais populares de dispositivos domésticos inteligentes e destacando o que é sobre nestas tecnologias que os consumidores mais valorizam. Então você está pronto para começar!

O relatório detalha cinco maneiras que você pode entrar neste jogo de casa inteligente:

● Inicie a Conversação - envolva-se com os clientes e use mídias sociais para mostrar sua experiência no tema

● Estágio mais Inteligente - adicionar alguma tecnologia a uma listagem pode ser uma maneira fácil e de baixo custo para ajudá-la a se destacar entre casas de preços semelhantes

● Marketing Inteligente - certifique-se de educar os consumidores e outros agentes sobre a tecnologia inteligente que está em uma casa e seus benefícios para os clientes

● Bonus de fechamento ​​- casa inteligente não precisa ser um benefício apenas no lado da lista, ele faz um excelente presente de fechamento para seus compradores avançados de tecnologia

● Ficar em contato - com a tecnologia em constante mudança, sempre há algo de novo para dizer a sua esfera quando se trata de tecnologia de casa inteligente, assim voce tem moltivos para retomar contato com seus clientes

Para obter mais detalhes sobre tecnologia de casa inteligente e como usá-lo em sua empresa, confira o relatório no link destacado no texto.


30 de jan de 2018

Quer saber mais sobre edificios eficientes?

        No Congresso Habitar 2018, uma das palestras será
*     *Como melhorar a Qualidade do ambiente interior nas edificações e manter consumo de energia reduzido*
      Com base em normas e especificações internacionais e nacionais (LEED V4 EQ & EA, Normas ASHRAE 55, 62.1, 90.1, ABNT 16401, ANVISA) focando dois conceitos:
 
      Qualidade Ambiental Interior (EQ) recompensa as decisões tomadas pelas equipes de projeto sobre qualidade do ar interno e conforto térmico, visual e acústico. Os edifícios verdes com boa qualidade ambiental interna protegem a saúde e o conforto dos ocupantes do edifício. Ambientes internos de alta qualidade também aumentam a produtividade, diminuem o absenteísmo, melhoram o valor do edifício e reduzem a responsabilidade pelos construtores e proprietários de edifícios. Esta categoria aborda as inúmeras estratégias de design e fatores ambientais:
  •         Qualidade do ar, qualidade da iluminação
  •         Design acústico
  •         Controle sobre os arredores
       Que influenciam a forma como as pessoas aprendem, trabalham e vivem.

      Energia e Atmosfera (EA) aborda a energia de uma perspectiva holística, objetivando a redução do uso de energia, estratégias de design eficientes em energia e fontes de energia renováveis. A eficiência energética em um prédio verde começa com um foco no design que reduz as necessidades energéticas globais, como a orientação do edifício e seleção de janelas e vidros, e a escolha de materiais de construção apropriados para o clima. Estratégias como o aquecimento passivo e o resfriamento, a ventilação natural e os sistemas HVAC de alta eficiência em parceria com controles inteligentes reduzem ainda mais o uso de energia de um prédio. 
      A geração de energia renovável no site do projeto ou a compra de energia verde permite que partes do consumo de energia restante sejam atendidas com energia de combustível não fóssil, reduzindo a demanda por fontes tradicionais.

Veja a programação do Congresso Habitar neste link





13 de jan de 2018

CES 2018: Aproximação entre a Casa Inteligente e as Seguradoras

Fonte: Meio & Mensagem
Historicamente, a principal relação das companhias de seguros com seus consumidores é avisá-los de pagar as contas ou ir resgatar o seguro quando alguma coisa ruim acontece. Casas inteligentes oferecem as seguradoras a oportunidade de estreitar os laços com seus clientes, segundo Jennifer Kent, diretora de pesquisa e desenvolvimento de produtos da Parks Associates.
“Pense, por exemplo, sobre os tipos de danos que podem ocorrer de um incêndio ou da água”, diz Jennifer. “Existem sensores conectados que podem detectar se há vazamento de água e válvulas de desligamento de água inteligentes. Muitos provedores de seguros estão pesquisando fortemente o fornecimento desses dispositivos aos consumidores, a oferta de descontos ou controlar o que acontece na casa para reduzir o custo dos seguros e também criar uma nova maneira de se envolver com seus consumidores”, destaca.

4 de jan de 2018

Marketing inovador para dispositivos domésticos inteligentes

Fonte: The Market Insider


A Internet das Coisas (IoT) tem sido uma palavra-chave por algum tempo, mas com a ascensão do Amazon Echo e a chegada do Google, da Apple e de outros no mercado doméstico inteligente, talvez seja hora de começar a avaliar esse hype de marketing  sob outra perspectiva?

Com 15 milhões de Echos já vendidos, esses dispositivos são agora mainstream. Com este mercado crescente em mente, bons negociadores estão se perguntando exatamente como eles podem entrar na ação. Afinal, onde quer que os consumidores estejam concentrando sua atenção, os negociadores (ou mesmo apenas as empresas inteligentes) devem estar também.

O que Echo significa para marketing e comerciantes

Em primeiro lugar, é imperativo perceber que o Echo e dispositivos similares são complementos usados como guarda chuvas para dispositivos de venda direta para sua marca. Por exemplo, os usuários do Echo provavelmente duplicarão como consumidores da Amazon. À medida que os consumidores usam o dispositivo para monitorar listas de desejos e descobrir itens, eles são posteriormente solicitados a comprar itens via Amazon.
Mas e o resto de nós? Como as marcas aproveitam esse novo canal? Bem, existem dois elementos principais que precisamos discutir.

Um apelo à busca por voz

O primeiro é bastante simples. Os dispositivos domésticos inteligentes são um impulso para a busca através da voz já bem sucedida. Embora aqueles de nós em uma certa idade achem falar com máquinas inerentemente ridículo, sabemos que os millenials e os mais jovens não têm esse escrúpulo. Embora possa não ser imediatamente óbvio, a busca por voz difere de maneiras muito significativas da pesquisa de texto, especificamente nos termos que são usados.

Enquanto os consumidores abordam uma pesquisa de texto como uma maneira codificada de obter informações de uma tela, eles falam com o Alexa ou o Google Assistant como um amigo querido. Isso significa que as organizações B2C que têm uma quantidade séria investida em SEO (ou seja, quase todas) precisam pensar claramente sobre essas diferenças e levá-las em conta. Aqui estão alguns exemplos:

• Concentre-se em ações e questões naturais. Em uma pesquisa de texto, poderíamos dizer "USA v Brazil kick off". Na voz: "Quando o jogo de futebol dos EUA começa?" "Quando" é a principal diferença aqui.

• Pense na cauda longa. Ainda mais do que no texto, a busca por voz será longa, divertida e imprevisível. Pensar em palavras-chave muito específicas nem sempre pode ser útil.

• Considere o fator local. Em muitos casos, o usuário quer algo agora e em sua área. Eles não estão necessariamente sentados em um computador. Certifique-se de que sua presença local seja refletida online provavelmente ajudará.

Aplicativos

Continuando a usar o Amazon Echo como exemplo, o dispositivo se conecta através do que são chamados de "habilidades" para serviços de terceiros. Exemplos de serviços de terceiros que são o Spotify ou o TuneIn Radio, que na realidade são aplicativos. Assim, o Echo se torna outro canal entre aplicativos de marca e consumidores e esse canal é, em última instância, construído através do aplicativo móvel.

Para os comerciantes, isso significa que se concentrar em maneiras inteligentes de pensar em garantir o aplicativo e a funcionalidade do aplicativo, está disponível para usuários Echo e, por extensão trabalhando com desenvolvedores para garantir a capacidade de resposta aos controles de voz. Isso não deve implicar um grande salto, mas isso significa considerar cuidadosamente a qualidade da experiência do usuário fornecida através da interface de voz. Especialmente em um mundo onde as opções são infinitas, é vital que a sua "habilidade" seja a pessoa a quem o usuário se volta - e continua a ser leal - ao longo do tempo.


O marketing em uma época de tecnologia em constante evolução implica uma autoeducação constante em canais emergentes. Dispositivos domésticos inteligentes são apenas um desses canais e, de forma semelhante, exigem uma nova perspectiva sobre a estratégia.

3 de jan de 2018

Tendencias da arquitetura para 2018: automação / tecnologia embarcada

O site de arquitetura UGREEN publica artigo em seu blog  citando quatro grandes tendencias na arquitetura para 2018. Abaixo reproduzimos o capitulo que trata das questões ligadas à Automação Residencial.

Dispositivos inteligentes estão se tornando mais comuns e mais acessíveis, tanto em termos de facilidade de uso quanto de custo.
Definitivamente, quem hoje está inserido e acostumado a tendências tecnológicas possui poder aquisitivo para esta aquisição — bem diferente de anos atrás — e por consequência um número crescente de casas estão sendo conectadas.
O setor manteve-se totalmente estável em 2016 e 2017 e de acordo com uma pesquisa realizada pela GFK e disponibilizada pela Aureside, 57% da população brasileira acredita que tecnologias em smart home ganharão mais espaço e terão mais impacto sobre suas vidas nos próximos anos, conectando-se cada vez mais com a internet das coisas.
Ainda não é comum encontrar uma casa que venha com esses sistemas já configurados, mas eles estão em alta e o processo de conversão de uma casa normal em um com dispositivos inteligentes interligados é muito mais eficiente do que costumava ser, além de acessível.
Conectores sem fio começam a de tornar tendência na nova geração de celulares, gerando espaço para uma ampla gama de móveis com disponíveis de carga sem fio incorporados.
À medida que esta tecnologia é refinada, novos móveis terão aplicações próprias, e em última instância, poderão funcionar a distância, o que significa que, com a infra-estrutura certa, um dispositivo pode ser carregado apenas por estar no quarto certo.
Já a nível ambiental, veremos também cada vez mais a tecnologia caminhando para obter estes benefícios, como por exemplo dispositivos recicladores de lixo que podem ser embutidos no design de mobiliário de forma prática e acessível.
Além disso, é algo que as pessoas simplesmente querem, conforme podemos ver nos resultados deste projeto do Indiegogo. É uma demonstração de que são tecnologias que vieram para ficar e é por isso que é uma das tendências da arquitetura para 2018.